Dica do Dia: Ácidos no cabelo o Glioxílico das Progressivas.

Olá pessoal, tudo okay? =D

Hoje a dica será sobre o uso dos ácidos nos produtos de cabelo.

Será que fazem bem ou mal aos fios?

 

Pra início de conversa, deve se salientar que cada ácido tem uma formulação química diferente, portanto, cada um terá sua função específica na fórmula de um produto. Não é porque você leu lá na fórmula “ácido” ou “acid” que o componente vai realmente agir nos fios, ou acidificá-los. O uso de ácidos (e seus vários tipos) tem funções diferentes nos fios de cabelo, por exemplo, uns agem como estabilizantes das fórmulas e alguns outros realmente interagem com os fios!

Agora conheçam alguns tipos deles!

 

 

Ácido Azeláico: Tem função bactericida.

Ácido Bórico: Tem ação adstringente, bactericida, fungicida e antisséptica.

Ácido Cítrico: (Um que é bem popularmente encontrado em fórmulas) É obtido vindo de frutas cítricas e ácidas. Exemplos: laranjas, limões, tangerinas, maracujás, tangerinas, nectarinaspode ser obtido de frutas ácidas como limão, laranja, tangerina, maracujá, entre outras. Age como um acidificante nas fórmulas dos produtos capilares.

Ácido Esteárico: Ácido que doa consistência aos produtos.

Ácido Glicólico: vindo a partir da cana-de-açúcar e  na pele, renova a epiderme estimulando a produção de colágeno. Já nos fios, pode agir com um agente hidratante quanto está no pH 6, mas se passar disso, pode danificar os fios ou a pele também, se tornando um glicolato.

 

Ácido Hialurônico: Tem afinidade com a água. Auxilia na hidratação e evita a perda de proteínas, formando uma espécie de película superficial sobre os fios de cabelo. Também ja vem sido utilizado em algumas escovas e tratamentos.

Um exemplo é o botox capilar (veja a resenha do produto da Maxliss clicando aqui)

Ácido Lático: É produzido pelo corpo humano também! Ele retém umidade, auxiliando na hidratação. Nos cosméticos, regula o pH dos produtos e tem além de ação hidratante e umectante, ação antimicrobiana.

 

Agora o tão famoso ácido glioxílico contido nas atuais escovas progressivas, inteligentes, etc.

 

Ácido Glioxílico: Ele é obtido a partir de micro-organismos e plantas. O uso deste ácido nos cabelos, através de seu pH altamente baixo, cerda de 1,0 a 1,5, acaba por quebrar as pontes de cistina contidas nos nossos fios de cabelo, abrindo-lhes as cutículas entrando pelos fios, o que também ocasiona um rompimento nas pontes de enxofre contidas no córtex capilar. A partir disto, é possível alterar a estrutura dos fios e moldá-los como se desejar.

Por isso é incorreto dizer que essas escovas não são “químicas”, apenas tratamento.

É fácil identificá-lo nas fórmulas por conter um cheiro caracteristicamente ácido.

Após o uso, geralmente contido nas escovas redutoras de volume, seu efeito dura mais ou menos de 2 a 3 meses, dependendo do tipo de cabelo. Cabelos mais danificados e porosos geralmente durarão menos tempo com o efeito da escova.

 

 

Abraços.

F.

Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: